05/02 – Os vereadores de Itaú de Minas podem aceitar nesta terça-feira, em sessão ordinária com início às 19h, uma denúncia contra o prefeito Ronilton Cintra (PSD) por infração político-administrativa. A acusação é de que a Prefeitura teria ignorado os vencedores de um processo licitatório para a compra de peças automotivas, e realizado compras diretas com outros estabelecimentos. Além disso, a votação englobará outros tópicos apontados por uma Comissão Especial de Investigação (CEI) que, no fim de 2018, averiguou a suspeita de atos ilegais da atual gestão.

De acordo com a denúncia, no dia 13 de fevereiro de 2017, a Prefeitura realizou um pregão presencial para adquirir peças para a manutenção de sua frota. No dia 6 do mês seguinte, foram assinadas as Atas de Registro de Preços – dentre as empresas vencedoras, estavam a Brasil Veículos e Máquinas Ltda. e a Alfepeças Ltda., que venderiam, respectivamente, peças da Mercedes Benz e da GMC.

Entretanto, segue a acusação, Cintra não comprou das empresas que ganharam a licitação. No dia 13 de março de 2017, ele ordenou o pagamento de uma nota de empenho, no valor de R$ 395,00, para uma empresa itauense, e no mesmo ano uma nota no valor de R$ 3.098,00 para uma pessoa fisica. Ambos pagamentos referiam-se á aquisição de peças para a manutenção do caminhão GMC, com motor Mercedez Benz. Ronilton Cintra garante que não houve irregularidades nas compras: “Não tem nada de desonesto, foi tudo feito ás claras. Infelizmente, esse é um processo político, e não técnico”. Ele, no entanto diz acreditar no julgamento dos parlamentares. “Confio nos vereadores de bom senso. Inventaram este erro administrativo para me afastar da prefeitura, porém o mesmo grupo que criou isso votou recentemente contra a abertura de processo para afastamento de um vereador que já foi condenado pela justiça”, afirmou o prefeito.