25/06 – A prefeitura de Itaú de Minas; por meio da secretaria de Obras, Serviços Urbanos e Agricultura; tem investido na conclusão das obras para a nova célula de operação do Aterro Sanitário Municipal. Após encerrada a capacidade da segunda célula, a terceira célula irá receber os resíduos sólidos provenientes da coleta do lixo doméstico na cidade.

 

Nesta etapa do serviço, a área preparada passou por terraplanagem para compactação do solo e, consequentemente, a não absorção do chorume pelo mesmo. Chama-se de chorume, o resíduo líquido formado a partir da decomposição de matéria orgânica presente no lixo. Este pode infiltrar-se no solo e contaminar a água subterrânea e os lençóis freáticos. Por isso, a necessidade da compactação do solo e a instalação de sistemas de drenagem dos efluentes e dos gases de decomposição.

 

Uma segunda fase dos trabalhos está instalando os tubos de drenos, que levarão o percolado (chorume) até as lagoas de tratamento de efluentes. Após concluído este processo, a nova área do aterro já pode ser utilizada. Esta terceira célula implantada terá um tempo de duração médio de 18 meses.

 

Conforme ressalta o prefeito Ronilton Cintra, esta é uma obra extremamente necessária e que está sendo feita com recursos próprios do município. “Estamos nos empenhando ao máximo para concluir as obras do aterro. Todo investimento está sendo feito com verbas da prefeitura e logo menos, o município contará com a nova célula adequada às normas ambientais para acomodação dos resíduos sólidos domésticos. A nossa responsabilidade também é com o meio ambiente e com as gerações futuras”, completou o prefeito Ronilton.

 

De acordo com o vice, Otacílio Teixeira Neto, o Tacilinho, este trabalho é de suma importância para a cidade e também para a conservação do meio ambiente. “Este serviço demonstra a responsabilidade da administração pública para com a área ambiental. Não podemos deixar que os resíduos coletados na cidade sejam despejados de forma incorreta no aterro. Assim, estamos concluindo esta obra para disponibilizar uma área preparada de acordo com as normas ambientais para receber o lixo doméstico”, destacou Tacilinho.