30/09 – Na manhã desta segunda feira (30), nossa reportagem procurou o pároco de Itaú de Minas, Padre César Acorinte, para falar sobre o dia da padroeira, Santa Teresinha, qu

e é celebrado neste dia primeiro de outubro, feriado na cidade.  Ele falou sobre a vida da santa que, muito cedo, entrou para a vida religiosa e tem um testemunho de santificação nas pequenas coisas, no cotidiano da vida, onde ela se intitula a pequena via, o “Amor” praticado no dia a dia das pessoas. Dias antes de sua morte, ela afirmou: “Pegar um

alfinete caído no chão, com amor, produz fruto de santidade”. Sua intenção foi sempre interceder a Deus por todos os fieis. Por esse motivo durante a novena de Santa Terezinha, se espera ganhar uma rosa de alguém como símbolo da graça alcançada.

Santa Teresinha morreu em 1897, aos 24 anos de vida. Em seu leito de morte ela afirmou: “Não me arrependo de haver-me entregue ao amor”. E com o olhar fixo no crucifixo exclamou: “Meu Deus, eu te amo”.

Santa Teresinha foi canonizada em 1925 pelo Papa Pio XI. Em 1927 foi declarada como a Patrona Universal das Missões Católicas, sendo a Padroeira Secundária da França, ao lado de Santa Joana D’arc. Cem anos depois da sua morte em 1997, numa Carta Apostólica, o Papa João Paulo II declarou Santa Teresinha como Doutora da Igreja, devido a sua mensagem singular de Infância Espiritual e Contemplação da Face de Cristo.

Padre César ficou muito emocionado, chegando às lágrimas durante a entrevista quando falou da sua gratidão pelo comportamento e a participação das pessoas, que se envolveram, tanto na parte religiosa, celebrada na matriz provisória, quanto na parte social, que acontece na Praça Nossa Senhora das Graças, com a quermesse.