19/11 – Comprar milhões de agulhas e seringas, organizar uma rede de câmaras de refrigeração para acondicionar vacinas, estruturar centros de referência e planejar uma complexa estrutura logística que garanta a todos os 853 municípios mineiros o recebimento do que a população tanto aguarda: a vacina contra Covid. Os estudos que tentam calcular essa imensidão de demandas em Minas Gerais integram o Plano de Contingenciamento de Imunização para a Covid-19, feito pelo governo estadual.

Apesar de não ter sido publicado ainda, o governo garante que o plano foi aprovado pelas instâncias necessárias e está em fase de execução.

A aquisição de seringas, outra preocupação latente dos governos, também não foi finalizada pela equipe de Romeu Zema. A Secretaria Estadual de Saúde informou que um processo está em andamento para a compra de 50 milhões de seringas, com previsão de entrega para final de dezembro deste ano.

A necessidade de um plano estruturado de imunização justifica-se devido a fatores como o tamanho territorial de Minas Gerais. A estratégia visa organizar a distribuição e conservação da vacina.

O recente aumento no número de pessoas infectadas por Covid em Minas Gerais levou o governo estadual a mudar de estratégia no combate ao vírus. Na reunião de ontem (18) do comitê extraordinário Covid-19 foi decidido paralisar a desmobilização de leitos para Covid que estava em andamento. Isso quer dizer que o governo já estava desmontando leitos criados especialmente para casos de Covid que se encontravam ociosos, ou retornando as acomodações hospitalares para outras funções.

Fonte: O Tempo