foto José Roberto Oliveira

31/05 – Um estudo realizado pelo “Observatório do Crack” fez um mapa da proporção dos problemas causados pela droga em todo o país. A classificação pode variar entre alto, médio, baixo e sem problemas. Entre altos e baixos, nenhuma cidade da região conseguiu atingir a tão esperada média de “sem problemas”.

 

Sendo assim, seis cidades principais se destacaram com um índice alto, uma delas é Itaú de Minas, que vem acompanhada de Passos, São Sebastião do Paraíso, Pratápolis, Fortaleza de Minas e Alpinópolis.

 

Na categoria média de problemas, encontramos as cidades de Bom Jesus da Penha, Capetinga, Cássia, Delfinópolis, Nova Resende, Piumhi, São João Batista do Glória e São Roque de Minas.

 

As melhores classificadas com um índice baixo de problemas causado pela droga estão: Capitólio, Carmo do Rio Claro, Guapé e São José da Barra. 

         

Em entrevista, o delegado responsável pela Delegacia Antidrogas de Passos, Danilo Gustavo da Silva, disse que a classificação não impressiona e que tem convivido com o aumento crescente desta realidade há pelo menos cinco anos. Ele disse ainda que o uso da droga é tão avassalador que, na maioria dos casos de apreensão, quem vende costuma não consumir, exatamente por saber dos inúmeros malefícios causados pelo crack.

Fonte: Folha da Manhã

(Redação Lincon Amorim, estagiário do Curso de Comunicação Social)

Ouça o aúdio da matéria