01/08 – O estoque de soro antirrábico, para tratamento de ferimentos provocados por mordida de animais infectados pelo vírus da raiva, está zerado na Superintendência Regional de Saúde de Passos (SRS Passos). Conforme Márcia Aparecida Silva Viana, coordenadora do Núcleo de Vigilância Epidemiológica, Ambiental e Saúde do Trabalhador, o insumo só é liberado mediante a ocorrência de acidente rábico, no entanto, na região, há uma cultura de não se atentar ao protocolo de atendimento antirrábico para prescrição do soro, tornando, na maioria das vezes, o uso desnecessário para a maioria dos casos.

 

De acordo com a coordenadora, neste ano, para a regional de Passos, foram dispensadas 210 ampolas de soro antirrábico e 45 de imunoglobulina antirrábica, mas o estoque está zerado. Caso haja alguma indicação, o município da vítima deverá buscá-lo em alguma regional de saúde mineira. Isso se o mesmo concordar em realizar a cessão.

 

Todas as unidades Regionais da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (SES-MG) já foram oficialmente comunicadas sobre o desabastecimento de soros antirrábicos no país, que são distribuídos exclusivamente pelo Ministério da Saúde; o nível central da SES-MG encontra-se desabastecido, dessa forma, a orientação imediata é para centralização dos estoques das unidades regionais de saúde em polos estratégicos a serem definidos por cada unidade.

 

Já em relação a outras variações de imunobiológicos, a distribuição de soros é considerada em ordem. Para o soro antiescorpiônico, por exemplo, a demanda local é atendida pelo estoque do ano passado. Além disso, para combater os efeitos do veneno de cobra, foram distribuídas 82 ampolas dos antibotrópicos, conforme a necessidade da regional.

 

Para as cidades próximas, os acidentes mais comuns são os escorpiônicos, aracnídeos e ofídicos. Entretanto, os soros não são necessariamente utilizados em todos os acidentes que envolvem escorpiões e aranhas.

Fonte: Folha da Manhã