31/01 – A barragem de Furnas tem preocupado moradores de São José da Barra. Segundo o prefeito, Paulo Sérgio Leandro, o último plano de segurança foi apresentado em 1962, mesmo ano em que a hidrelétrica chegou à cidade. Depois do rompimento da barragem em Brumadinho, o governo federal exigiu que todas as empresas que tem barragens no país apresentem um plano de segurança atualizado em 2019.

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), as usinas de furnas têm baixo nível de rompimento, mas pode causar grandes estragos, caso venham a se romper.

A barragem da hidrelétrica fica no Rio Grande e tem núcleo de argila e comporta um volume total de 9,4 milhões de metros cúbicos de água. A argila serve para torná-la impermeável e blocos de rocha compactados em camadas dão maior estabilidade.

Atualmente, a ANEEL é responsável por fiscalizar 437 hidrelétricas, com 616 barragens. Desse total, apenas 122 foram vistoriadas entre os anos de 2016 e 2018.

Em nota à EPTV Sul de Minas, Furnas disse que faz inspeções e medições periódicas em suas barragens e que todos os dados coletados pela empresa serão repassados para as prefeituras, polícias e bombeiros para criação de um plano de contingência.

A empresa não comentou a afirmação do prefeito de São José da Barra sobre o último plano de segurança ter sido apresentado em 1962.

Fonte: G1